Sunday, November 27, 2005

O Samba !

O SAMBA:
Samba de Gafieira: Tem sua origem no maxixe.
Nasceu no Rio de Janeiro e difere-se do Pagode Paulista pela forma.
Para se dançar pode ser utilizado o pagode o samba, a bossa-nova e o chorinho.
Utiliza-se a mesma dança, porém respeitando a melodia que é exigida por cada música.
É o mais brasileiro de todos os ritmos.
Samba - Gênero musical e tipo de dança de origem afro-brasileira.
De ritmo sincopado, o samba é tocado com instrumentos de percussão, tendo como base violões ou cavaquinhos.
As letras falam da vida urbana ou casos de amor e geralmente são feitas em tom bem-humorado.
Influencia movimentos da MPB, como a bossa nova, cuja primeira gravação é feita por uma das mais prestigiadas cantoras de samba, Elizeth Cardoso.
Origem: A palavra samba vem de semba, idioma africano quimbundo, e significa umbigada, dança de roda na qual os participantes se tocam pela barriga.
Era empregada como sinônimo de festa popular.
O samba é derivado de danças de roda africanas, como o lundu, o jongo e sobretudo do maxixe, primeira dança brasileira genuína, criada por volta de 1875.
Vindas da Bahia, seu erotismo escandaliza a alta sociedade do Rio de Janeiro no fim do século XIX.
A primeira música registrada como samba é Pelo Telefone, criada por um grupo de boêmios que se reuniam próximo à Praça Onze, no Rio de Janeiro.
Ali era a casa da Tia Ciata, baiana considerada "mãe" do gênero.
Composta pelo cronista Mauro de Almeida, Sinhô e Donga, faz alusão à perseguição policial aos jogos de azar.
O gênero espalha-se pelo Brasil e domina o carnaval. Sinhô, Ismael Silva e Heitor dos Prazeres destacam-se com suas composições.
Nos anos 30 o samba passa a ser difundido regularmente pelas rádios e faz sucesso o ano inteiro.
Entre os maiores compositores e intérpretes estão Noel Rosa, Cartola, Dorival Caymmi, Adoniran Barbosa, Ciro Monteiro, Germano Matias e Jair Rodrigues.
Noel é autor de Conversa de Botequim e Três Apitos.
Cartola compõe As Rosas não Falam e O Mundo é um Moinho.
Caymmi faz O que é que a Baiana Tem e Samba da Minha Terra, com o verso que resume o espírito do gênero: "Quem não gosta de samba, bom sujeito não é. É ruim da cabeça ou doente do pé".
Adoniran lança Trem das Onze e Saudosa Maloca.
Ciro Monteiro ganha projeção nacional cantando Falsa Baiana, de Geraldo Pereira.
O paulista Germano Matias destaca-se com Guarde a Sandália Dela e Tristeza.
Com Aquarela do Brasil, o jornalista Ary Barroso cria o samba-exaltação.
Paulinho da Viola faz uma declaração de amor à escola de samba Portela em Foi um Rio que Passou em Minha Vida.
Samba-enredo: Estilo desenvolvido no Rio de Janeiro a partir dos anos 30, com o início dos desfiles oficiais de escola de samba.
É a descrição musical do tema desenvolvido pela agremiação.
Até o fim da década de 60, os sambas-enredos têm letras longas que exaltam a história do país e seus personagens.
A partir dos anos 70 as letras encurtam e o ritmo se acelera.
Os temas passam a incluir crítica social e política e aspectos da cultura popular.

Samba-canção: Gênero de samba que dá ênfase à melodia.
De ritmo mais lento, suas letras são românticas e sentimentais, muitas vezes falando da "dor-de-cotovelo".
Existe desde os anos 20, mas só faz sucesso a partir de Ai, Ioiô, de Luís Peixoto
.
Samba de partido alto - Uma das formas mais antigas de samba.
No início era restrito a compositores experientes - de "alto gabarito".
As letras são improvisadas sobre temas do cotidiano.
Renova sua força a partir dos anos 40, nos morros cariocas e nas quadras de escolas de samba .
Os compositores Moreira da Silva e Martinho da Vila, e os intérpretes Beth Carvalho e Neguinho da Beija-Flor estão entre seus principais representantes.

Pagode: Nascido em São Paulo, o pagode parece com o samba de partido alto.
É o chamado samba de fundo de quintal, muito comum também no Rio de Janeiro onde destaca-se o compositor Zeca Pagodinho.
Usa instrumentos de percussão e teclado. Suas letras são carregadas de romantismo.É geralmente cantado por grupos, como Fundo de Quintal, Cravo e Canela, Negritude Júnior, Só Preto Sem Preconceito, Só pra Contrariar e Raça Negra

O Bolero !

O BOLERO:
Como em outros ritmos, a origem do Bolero não está muito clara.
Mas a versão mais contada é que nasceu na Espanha,onde formou suas características mais marcantes, passou pela França, até finalmente chegar à Cuba.
Popularmente diz-se que o Bolero é uma espécie de avô de outros ritmos como o chá-chá-chá, salsa e mambo.
Uma das danças mais românticas conhecidas, o bolero inspira amor e paixões proibidas.
O bailarino Sebastian Cerezo foi quem popularizou o ritmo a partir das Sequildillas, bailados de cigana, cujo os vestidos eram ornados com pequenas bolas, as "boleras", que deu origem ao nome.
No Brasil, o Bolero sofreu influência do Tango e agregou giros, caminhadas, cruzadas e outras variações tornando a dança mais atraente, criando o Bolero Carioca.
A base da dança é o famoso "dois pra lá, dois pra cá", mas sofre algumas variações dependendo do local.
Em São Paulo, por exemplo, há quem ensine um pra lá, dois pra cá. Apesar de o Bolero ser um ritmo que influenciou outros mais modernos, ele não perde seu público.
Pelo contrário, os amantes do Bolero são fiéis e muitos, românticos incorrigíveis.

A História da Dança de Salão !

A História Da dança de Salão:

As primeiras danças sociais, como eram chamadas as danças em casais, surgiram no séc. XIV.
Eram a base dance (1350-1550) e o pavane (1450-1650), dançadas exclusivamente por nobres e aristocratas.
Nos sécs. XIV e XVII a Inglaterra foi berço da contradanse, também só dançada pela Corte.
A popularização das danças sociais deu-se em 1820 através do Minueto, desenvolvendo-se o cotillos e a quadrille.
Já no início do séc. XIX ocorreram rápidas transformações no estilo de dançar.
O minueto e a quadrille desapareceram e a Valsa começou a ser introduzida nos sofisticados salões de baile.
Logo, a polka e, no início do nosso século, o two-step, one-step, fox-trot e tango, também invadem os salões.
A dança social passa então a ser chamada de Ballroom Dancing.
As primeiras documentações sobre Ballroom Dancing foram editadas pela Imperial Society of Teachers of Dancing.
Profissionais ingleses percorreram vários países para encontrar a síntese de cada ritmo, codificando a forma de dançá-los e a maneira ideal de ensiná-los.
Foram os ingleses que criaram as primeiras competições, hoje populares mundialmente, com grandes presenças de duplas americanas, canadenses, alemãs, francesas, escandinavas e japonesas.
No Brasil a dança de salão foi introduzida em 1914, quando a suíça Louise Poças Leitão, fugindo da I Guerra Mundial, aportou em São Paulo.
Ensinando valsa, mazurca e outros ritmos tradicionais para a sociedade paulista, Madame Poças Leitão não imaginava que iria criar uma tradição tão forte, seguida por discípulos que continuariam a divulgar a dança de salão.
No Rio de Janeiro a dança de salão cresceu nas mãos de Maria Antonietta, que, com várias correntes de professores, fazem o nosso bolero, samba no pé e samba de gafieira famosos no mundo todo.

Saturday, November 26, 2005

Companhia de Dança - Amantes da Arte

Bom, nesse site, você verá e saberá mais sobre a Dança de Salão.
Irá ver os mais variados bailes, e apresentações desta companhia de dança.
Os Amantes da Arte, é um grupo, cujo, se apresentam em diversos lugares, com coreografias feitas pelo professor Claudio, cujo tambem faz parte da companhia. Eles dançam diversos ritmos, ensinados nas aulas, de dança de salão.
Onde eles fazem aula?
Onde posso encontrar o professor Cláudio?
Eles fazem aula no SESC do Engenho de Dentro. O endereço é: Av. Amaro Cavalcanti 1661. O telefone para contato, ou telefone geral, é 25834661.
O professor Cláudio, se encontra no SESC de 2ª á 5ª, das 18:00 ás20:00.
O telefone do professor é:24857020.
Bom, aqui nesse site, você encontrará também os conceitos de cada ritmo ensinado, nessas aulas de dança de salão.
Bom, espero que aproveitem o site, e se emplolgem e venham fazer aulas conosco!
Estejam á vontade.